Em seu gabinete, Mário Cavalcanti recebeu o

prefeito eleito Joaquim Neto

 Teve início em Gravatá, no Agreste, o processo de transição da Intervenção Estadual para a gestão eleita nas eleições municipais 2016. O gestor do município, Mário Cavalcanti, recebeu, na manhã desta segunda-feira (07), no gabinete da Prefeitura, o prefeito eleito, Joaquim Neto de Andrade e sua equipe de transição.

Mário Cavalcanti se colocou à disposição da equipe, garantindo que, todas as informações necessárias serão repassadas integralmente, reafirmando seu compromisso com Gravatá. “Será uma transição tranquila e íntegra. Nosso compromisso é com a cidade e seu povo. Vamos contribuir com a nova gestão da melhor maneira possível garantindo, assim, o repasse de todas as informações”, disse o gestor.

Para viabilizar o trabalho, o gestor Mário Cavalcanti solicitou à equipe que uma sala fosse preparada no prédio da secretaria de Finanças, situada na Rua Rui Barbosa, no Centro, para receber a equipe de transição. Todos os trabalhos serão feitos no local, tendo em vista que, a maioria das secretarias administrativas encontram-se lá.  

A equipe de transição da Intervenção é composta por: Tercília Vilanova (secretária de Governo, Comunicação e Imprensa), Lucy Lopes (presidente do Instituto Previdenciário dos Servidores de Gravatá), Romero Borja (Procurador do Município), Francisco Pereira (secretário de Finanças), Otávio Monteiro (Controlador Geral).

Por parte do prefeito eleito Joaquim Neto, fazem parte da equipe de transição, coordenada por Severino de Oliveira Ursulino (Economista CRE-2702) e os seguintes membros: Maria Edvânia de Oliveira Pires da Silva (Advogada OAB/PE 17.135), Joeides Pereira, Ana Lourdes  Soares de Andrade, Valéria do Socorro Celstino, Ana Paula Remígio de Farias Andrade, Paula Costa Gama, Rosiane Silva de Souza, Dogivaldo Bezerra da Silva, Ana Lúcia de França Barros dos Santos e Gustavo Rodolfo Silva Villar. 

PREFEITURA COM AS CONTAS EM DIA – Perto de completar um ano sob o comando do município, a intervenção estadual em Gravatá, que tem como gestor, Mario Cavalcanti, deixará a Prefeitura em perfeita ordem para a próxima gestão que assume em janeiro de 2017. 

Fazendo uma retrospectiva destes 12 meses, vale destacar que, a intervenção encontrou a administração de Gravatá com salários atrasados, fornecedores sem receber, entre outros problemas eram a realidade do município. 

De acordo com o gestor, de janeiro a setembro de 2016, uma economia gigantesca foi feita na cidade. Todos os meses, a cidade arrecada uma média de R$ 10 milhões e, nesse período, a Prefeitura economizou R$ 15 milhões e 400 mil. A folha de pagamento bruta gira em torno de R$ 6,2 milhões por mês. Com isso restam cerca de R$ 4 milhões para administrar as pastas do município.

Segundo o interventor, na gestão da intervenção, Gravatá está completamente em dia. Salários pagos rigorosamente em dia e, nos últimos meses, pagos antecipadamente. 

Na construção civil, Mário Cavalcanti relembra a realização do novo cadastro imobiliário realizado recentemente, destacando que, nos arquivos da Prefeitura constavam 17 mil imóveis, com nomes e informações erradas ou ultrapassadas. Com a atualização cadastral, Gravatá possui 44 mil Imóveis. Isso vai facilitar a arrecadação tributária, IPTU e outros impostos.

Foi aprovada pela Câmara de Vereadores de Gravatá, no Agreste, a Lei nº 3.697 / 2016 que, relança o programa “Regulariza Gravatá”, o qual consiste na viabilização dentro da Lei, de processos e projetos emperrados, desburocratizando os procedimentos e facilitando a legalização de imóveis já construídos. A iniciativa representa um grande passo rumo à celeridade e desenvolvimento nos processos de construção civil na cidade. 

A regularização das edificações e obras irregulares dependerá da apresentação dos seguintes documentos: requerimento por meio de formulário específico, documento que comprove a propriedade ou posse do imóvel, três cópias das plantas de levantamento (planta baixa, situação e locação) devidamente assinadas pelo proprietário, pelo autor do projeto e responsável técnico no CREA ou CAU, exceto para imóveis com área construída de até 50m², e que seja moradia popular. Laudo de vistoria técnica por profissional habilitado no CREA ou CAU, cópia que comprove quitação das taxas referentes às multas acumuladas decorrentes das infrações cometidas durante a realização da obra, também são alguns dos requisitos.

Gravatá será a primeira cidade a transformar lixo e energia elétrica. A técnica é referência em países desenvolvidos como Alemanha, França, Espanha, Estados Unidos, Canadá, Itália, Suécia e Holanda. O objetivo do município é que a energia gerada abasteça todo o parque elétrico público da cidade, incluindo a sede do Executivo municipal, todos os prédios públicos, escolas, hospital, unidades de saúde e praças. Isso vai acarretar, anualmente, em uma economia maior que R$ 1 milhão, aos cofres públicos. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here