Antes da intervenção, local não possuía licença sanitária para funcionamento e 

os funcionários trabalhavam sem nenhum tipo de proteção

Localizado no sítio Baraúnas na Estrada do Ladrilho, zona rural de Gravatá, no Agreste, o Abatedouro Público Municipal já foi motivo de muita preocupação e problemas judiciais para o município, tendo inclusive sido interditado por algum tempo na gestão passada. Mas essa realidade mudou. Com a intervenção Estadual na cidade, o Abatedouro recebeu os cuidados necessários, adquiriu licença sanitária para funcionamento e passou a trabalhar dentro da legalidade, obedecendo as exigências dos órgãos fiscalizadores. E para fechar a gestão com maestria, o interventor Mário Cavalcanti esteve na manhã desta quarta-feira (28),no local, para entregar equipamentos de proteção individual a todos os funcionários.

Fardamento completo com calça em brim e camisa polo, botas e luvas especiais, e capacetes, compõem o kit de EPIs, garantindo melhores condições de trabalho e segurança aos profissionais.

Administrado pela Prefeitura, através da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Agricultura, o Abatedouro Municipal atua com 38 funcionários, entre veterinários, magarefes, agentes de limpeza, e demais profissionais. Semanalmente são abatidos com acompanhamento dos veterinários, em média de 90 bovinos, 120 caprinos e 30 suínos. Gravatá também atende a demanda dos municípios vizinhos Pombos e Chã Grande, cumprindo todas as exigências.

Todo o procedimento de abate é rápido, prezando pela higiene, segurança no trabalho e, principalmente, minimizando o sofrimento dos animais. Para isso, a Prefeitura possui uma pistola de atordoamento e outras ferramentas. As paredes em azulejo e os equipamentos de manuseio em aço inox facilitam o trabalho dos profissionais.

O gestor Mário Cavalcanti fez uma avaliação de todas as ações que a gestão realizou no abatedouro. “Aqui não possuía um refeitório decente, banheiros adequados para os profissionais, licença de funcionamento, tudo era de forma irregular. Hoje temos uma ambiente propício para o trabalho e viemos entregar os EPIs para que todos tenham condições de trabalho dignas como merecem”, disse o coronel.

O secretário de Desenvolvimento Sustentável e Agricultura, Laurinaldo Félix, reforçou a importância dos EPIs. “São profissionais que trabalham diretamente com sangue, facas e peso dos animais, tudo requer cuidados especiais e equipamentos que ofereçam segurança para todos. Com os EPIs eles passarão a ter essa proteção adequada com tranquilidade. Ao mesmo tempo estamos prezando pela higiene e qualidade dos alimentos que chegam à mesa do consumidor “, destacou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here